11º Curta Canoa é destaque pela diversidade regional; confira os premiados

Festival segue como uma importante janela para o audiovisual brasileiro

Um festival de cinema num dos principais roteiros turísticos do Brasil e que leva representantes de todas as regiões do país para celebrar e exibir a produção cinematográfica nacional e regional: o Curta Canoa – Festival Latinoamericano de Cinema, realizado na Praia de Canoa Quebrada, no litoral Ceará, chegou a sua décima primeira edição tendo exibido 61 filmes, sendo 57 curtas-metragens e quatro longas. Desses, 42 concorreram na Mostra Competitiva de curtas nacionais e o restante na Mostra Bom Ventos, de curtas cearenses. Os longas forem exibidos fora da competição.

As exibições ocorrem sempre ao ar livre, no Polo de Lazer de Canoa Quebrada, abertas e gratuitas, fazendo com que a população do vilarejo, distante 162 km de Fortaleza, tenha acesso à produção audiovisual de todo Brasil e também conheça o cinema que é realizado no Ceará.

A 11º edição do Festival (começou em 2006) foi realizada entre os dias 15 e 20 de dezembro e promoveu também outras atividades como os seminários sobre Gestão de Equipamentos Culturais e Audiovisual e Educação, além de uma oficina sobre cineclubismo. Houve também lançamento de livros, como o do cineasta e professor da UFPB Bertrand Lira, que lançou seu livro “Cinema Noir”.

Homenagem

curta-canoa_hader-homenageado

O cineasta Hader Gomes recebendo homenagem no Curta Canoa 2016

Na edição 2016 o homenageado do Curta Canoa foi o cineasta cearense Hader Gomes, diretor de vários curtas e dos longas Cine Hollywood e O Shaolin do Sertão. Ele agradeceu a homenagem e disse estar muito feliz por ser lembrado como cineasta no seu estado-natal. “Receber homenagem em casa é sempre mais gostoso, tem um sabor todo especial”, ressaltou ele.

O Festival

Para o organizador do Curta Canoa, Adriano Lima, o Festival segue como um importante canal de promoção da cultura e valorização do audiovisual brasileiro e cearense. “Esse ano o festival inovou com a (mostra) Bom Ventos, que eu acho que enriqueceu demais (o evento) porque foram exibidos mais de 24 curtas cearenses, sem contar com os filmes da mostra competitiva. O Curta Canoa foi idealizado para ser a vitrine do curta-metragem”, destacou.

curta-canoa_adriana-e-rebeca

O organizador do Curta Canoa, Adriano Lima, e apresentadora do Festival Ana Rebeca Queiroz

Adriano também deu ênfase ao caráter socioeducativo do Festival. “O Curta Canoa também se preocupa com a parte de formação, com seminários e oficinas que aconteceram em paralelo às exibições. Nesses 11 anos aconteceram várias outras ações sociais na área de meio ambiente, por exemplo, como implantação de mudas e limpeza de praias, ações de turismo, já que automaticamente o festival está contribuindo com o turismo, lotando as pousadas (de Canoa Quebrada)”.

Segundo ele, esse ano foram mais de 300 inscrições de filmes, o que atesta a abrangência e a projeção que o festival alcançou. “O Curta Canoa vai continuar e vamos chegar muito longe!”, concluiu.

Premiados

Os curtas premiados no Curta Canoa 2016 contemplaram a diversidade regional que tem marcado o Festival, que a cada ano se consolida como uma vitrine para o cinema independente de todo o país. Nessa edição, filmes de 16 estados brasileiros de todas as regiões foram exibidos. Durante a cerimônia de encerramento houve uma homenagem ao diretor Mário Masetti, que faleceu recentemente. Para celebrar a obra e a trajetória do realizador, foi feita uma exibição extra do filme “Anachronique”, dirigido por ele, na produtora Del Picchia Filmes.

curta-canoa_-a-ilha

A jornalista Clarissa Kuschner entrega o troféu de Melhor Ficção ao cineasta Ismael Moisés, diretor de “Ilha”.

Os filmes com mais prêmios foram o curta paulista Hospital da Memória, de Paulo Pedro de Andrade que venceu Melhor Roteiro e Melhor Direção e o paraibano A Ilha, de Ismael Moura, que levou Melhor Ficção, Melhor Fotografia e o prêmio especial do Juri, formado pelo presidente da Associação Brasileira de Autores e Roteiristas, Di Moretti; pelo professor universitário, escritor e diretor, Bertrand Lira; e pelo diretor e produtor curitibano, Estevan Silveira.

Confira a lista completa:

MELHOR FOTOGRAFIA

Bruno Sales

Filme: Ilha (PB)

MELHOR TRILHA ORIGINAL

Lívio Tratenber

Filme: Scholles – Sementes da Cor (RS)

MELHOR DIREÇAO DE ARTE

Bruno Autran

Filme: Museu das Pequenas Lembranças (SP)

MELHOR ATOR

André Campos

Filme: Os Olhos de Arthur (CE)

MELHOR ATRIZ

Denise Weinberg

Filme: A Página (SP)

MELHOR DIREÇÃO

Pedro Paulo de Andrade (SP)

Filme: Hospital da Memória

MELHOR ROTEIRO:

Pedro Paulo de Andrade (SP)

Filme: Hospital da Memória

MELHOR ANIMAÇÃO

Douglas Ferreira (SP)

Filme: A Fuga

MELHOR FICÇÃO

Filme: Ilha

Ismael Moura (PB)

MELHOR DOCUMENTÁRIO

Filme: Abissal

Arthur Leite (CE)

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI ofertado pela Cia Rio que irá disponibilizar o valor de R$ 6 mil em equipamentos para o vencedor:

filme: Ilha

Ismael Moura (PB)

Mostra Bons Ventos

curta-canoa_leila-e-gregori

A produtora cultural do Itaú Cinema entrega o prêmio de melhor filme da Mostra Bons Ventos ao realizador Gregori Fiorini pelo curta “A Magia de Daniel Hourdé”

Após a premiação da Mostra Competitiva, foi a vez da Mostra Bons Ventos, que era exclusiva para 24 produções cearenses. O vencedor saiu da decisão do júri popular. Os espectadores escolhiam o filme favorito após a exibição do dia e preenchiam a ficha que era distribuída e entregue na urna. O campeão foi “A Magia de Daniel Hourdé” do diretor Gregori Fiorini.

 

Deixe um Comentário